quarta-feira, 22 de maio de 2013

Doutores do Cagalhão e Empreendedorismo e Toma Lá Que Já Almoçaste!

Minha Cara Doutora Investigadora Raquel Varela,

(inspirando para tentar não escrever ordinarices, expirando muito lentamente para controlar a agressividade na escrita)

Castração, é disso que uma pessoa motivada precisa. que lhe cortem os sonhos, que a desmotivem, quando se vive num País em que as burocracias dominam até para se dar um peidinho. Isso é que é uma atitude como deve ser: ser desmotivadora, falar com ar de superior e de xica-esperta dirigindo-se a um miúdo de 16 anos.

Miúdo este que decidiu criar uma empresa aos 15 anos. 15 anos, é verdade! E a Doutora Raquel? O que fazia com 15 anos? Não a conheço, mas arrisco a dizer que com certeza não era empresária e muito menos num país em crise e que tivesse um  produto a ser exportado para vários países. Acertei, Doutora? Pois, secalhar até estava a jogar ao "bate pé", mas ninguém lhe pegava, certo? Sério? Pois.

Minha Doutorada em Imbecilidade, que nunca mais na sua vida faça uma figura destas. Eu já me considerei mais empreendedor, mas ao fim de anos a lidar com pessoas como a senhora, uma pessoa acaba por desistir- não devia- mas uma pessoa cansa-se. Fazer frente a imbecis que fazem cara de gozo quando uma pessoa apresenta uma ideia - uma ou outra até aapareceu no estrangeiro e foi bem sucedida, mas cá, só são mostradas a gente parva como a Investigadora Raquel. Pessoas castradoras, limitadas, cabecinhas de merda e fechadas.

E se a roupa que o miúdo cria ( OVER IT, eu ja fiz like no facebook) fosse feita no Bangladesh e as pessoas ganhassem 2 euros por dia? E então? Não estava a dar trabalho na mesma? Que figurinha, minha senhora! Que figurinha de merda. Neste caso, o ar não devia ser de todos.

E sim, um chapadão nas ventas e era pouco.
Parabéns, Martim! Vai em frente, que são necessárias pessoas motivadas como tu! E de respostas como a tua a Doutoras ;)
Doutora Raquelita, fez uma coisa super útil: publicidade enooooooooooorrme à roupa do Martim! Alguma utilidade você teria de ter.
Obrigado.

Para quem ainda não está  a par deste assunto:


Toma lá que já almoçaste. Vai b'scar! Grande Tóina.

18 comentários:

  1. é mesmo, ela acabou por fazer um grande favor ao Martim :D incha!!

    ResponderEliminar
  2. Grande Martim! Ainda em idade de "bater muito punho" calou a Doutora.
    O programa "Prós e Contras" está a tornar-se num lançador de carreiras... tenho de lá ir.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, também me parece uma grande rampa! :) Quando fores, avisa para a malta estar atenta ;)
      Abraço!

      Eliminar
  3. obrigada pela partilha do link do facebook, não sabia qual era. isso sim é acrescentar valor ao muito que já foi dito sobre o assunto ;)

    ResponderEliminar
  4. "..o ar não devia ser de todos." Muita bom!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era eu a tentar não ser agressivo, eheheheh! :)

      Eliminar
  5. A Dra. precisava era de ser sodomizada por um tribo inteira de somalis com a testosterona quimicamente alterada.

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. De nada! É a pura da verdade... :P

      O que escreveste está engraçado e genial! E o que o rapaz disse também! Deviam de haver mais como ele, para calar muitos "doutores"...:P

      Eliminar
  7. está aberta a geração mercenária: incisiva no matters what

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, para algumas coisas: graças a deus! Neste caso, ainda bem!

      Eliminar
  8. Vaca! Vaca! só mais uma vez. Ganda Vaca!

    ResponderEliminar
  9. E parece que o Prós e Prós lá pariu mais um guru do empreendedorismo. O outro bate punho este não sei... Confesso que achei a intervenção da Raquel Varela despropositada e algo infeliz, mas não consigo entender esta vaga de endeusamento de um tipo cuja resposta é mais menos isto: "ganham pouco, está bem, mas não interessa, porque ao menos têm trabalho" (claro que é uma adaptação livre que faço da resposta do miúdo). O que ele e muitos outros obcecados com esta coisa do empreededorismo parecem não entender é que, se as pessoas continuarem a receber salários como o nosso salário mínimo, depois de pagar as contas e fazerem das tripas coração para chegar ao fim do mês com algum tostão, não vão ter dinheiro para comprar as T shirts ou lá essa coisa que o empreendedor quer vender. E se, de repente, todos virarem empreendedores e a pagar salários baixinhos (e bem bom que é, ao menos têm emprego), quem é que lhes compra as cenas?

    ResponderEliminar
  10. Vou já ao face fazer esse like! E estou contigo...uma carroça de estrume despejada na fuça desta senhora, ainda era pouco.

    ResponderEliminar