sexta-feira, 27 de junho de 2014

Vai com calma, Thaís!

Quando queremos ver alguma coisa que se está a passar fora do nosso campo de visão, ou seja, cuscar algo e estamos longe, esticamos o pescoço de forma a tentar concretizar essa vontade. Esticamos mas há limite. No outro dia em Sines vi uma imagem que me suscitou muito interesse e que levará ao limite este esticar de pescoço para se tornar real a informação que era dada num cartaz.

Tratava-se de um prédio novo com casas para venda em que, no cartaz de propaganda, usava uma imagem de uma praia que fica a aproximadamente 18 Km. Chiça, comprar uma casa em Sines que da varanda a vista é a praia de Porto Covo...vai lá vai.

"Veja o mar das nossas varandas", que é como quem diz: compre uma casa em Sines e fique a imaginar como seria melhor ter comprado em Porto Côvo e aí sim, ver essa bela praia. Vai com calma, hein?! É como morar no Cercal e promover a praia de Beja.
Nada contra Sines, mas a imagem não está bem utilizada. Just sayin'.


Sem comentários:

Publicar um comentário