terça-feira, 8 de agosto de 2017

Costa Alentejana: O que o caravanista precisa saber.

Mais concretamente onde? Em Porto Côvo. Nem outra coisa seria de esperar, tanto porque é a aldeia que me diz alguma coisa, como por ser nesta altura do campeonato um cancro em termos de caravanismo.

E as virgens ofendidas do teclado podem já sossegar, porque nada do que vem a seguir é mentira e como em todos os assuntos, vai ser generalizado.

Se há caravanistas correctos, justos e essencialmente educados? Há, claro que os há. Daqueles que sentem mesmo aquela coisa do viver assim, aproveitar a natureza ao máximo e consequentemente respeitando-a? Há uma grande fatia do bolo.

No entanto, aqui para estes lados tem vindo maioritariamente o que não interessa que se traduz num valente reboliço de papéis cagados, falésias ocupadas e uma falta de respeito tremendo tanto pela terra, a natureza e pelos próprios colegas caravanistas.

E não há grande diferença entre portugueses e estrangeiros, em termos de má educação, é tudo igual.
Então o que é que se tem passado de há uns anos para cá com esta praga? Claramente uma distorção no conceito da caravana.

O que antes era "bem, isto é óptimo ter uma caravana, podemos conhecer imensos sítios, aproveitar a natureza (e respeita-la) e vou poupar imenso no alojamento, é uma forma super económica de fazer férias e conhecer tudo"- passou claramente para "Ah, que giro, vou ser destas pessoas também! Que engraçado, desde pequen@ qu o meu sonho é ter uma pão de forma! Vamos acampar em parques naturais onde é super proibido porque o que interessa é pormos no instagram a vista de onde estamos alapados"- os autocaravanistas 2.0.

Não há uma legislação escarrapachada que proíba certas atitudes, mas a GNR ou outras entidades competentes claramente podiam desempenhar assiduamente a sua função. Até porque isto não é de agora. Situações que pode actuar:


  • Caravanas estacionadas num parque de estacionamento em que na entrada está um sinal com a altura mínima de 2m- Praia Grande  (está lá a dizer que é proibido, logo...);
  • Caravanas estacionadas em parques de estacionamento laterais ao parque existente para caravanas, mesmo quando estes estão vazios. Porque é mais giro ser do contra e estacionar fora do parque;
  • Estas anteriores, frequentemente rebentam canos de terrenos (preparados para futuras obras) para tomar banho, encher garrafões, lavar roupa e ficam a correr dias inteiros;
  • Caravanas que despejam as necessidades na rua, falésia, estrada;
  • Caravanas que têm à sua volta estendais, grelhadores, atrelados e afins presos no alcatrão de um estacionamento para carros (é ocupação da via pública que se diz?);
  • Caravanas que estacionam em cima do circuito de manutenção para peões e bicicletas;
  • Caravanas que estacionadas em parques de bairros residenciais tapam a vista de quem la´mora e paga bastante pela vista;
  • Caravanas estacionadas a ocupar 4 lugares de estacionamento de carros.
Seria interminável esta lista, acreditem que sim. 
E agora vêm esbaforidos os caravanistas (ou autocaravanistas, whatever) dizer que nós precisamos imenso de vocês porque senão morríamos à fome (lido num grupo de facebook aqui da zona). 

Nós precisamos dos que deixam cá dinheiro, obviamente, mas surpreendam-se: Porto Côvo agora não tem 1/3 das pessoas que para cá vinham há 15 anos em comparação a agora. Pois. E nessa altura as caravanas que vinham ficavam nos parques de campismo ou as mais selvagens, o mais escondidas que conseguissem. 

Nunca mas nunca a serem a cara da terra assim que se cá entra. É péssimo, horrível as toneladas de caravanas juntas a tapar a vista das praias. Meus queridos, todos queremos vista para o mar, no entanto, deixamos a casa onde está e vamos para a praia. Vocês deviam fazer o mesmo.

(esta foto não é minha)


Código de conduta do caravanista, já leram? Eu já. E sei que vocês fazem muita coisa errada.
Há dois, dois, 2, dois(!!!!) parques de caravanas neste momento em Porto Côvo, onde não se paga nada para lá estar, nem 1€. Mesmo assim é mais giro desreipeitar.

Vocês, caravanistas educados, já que as autoridades não estão sempre disponíveis, dêem vocês uns toques aos vossos colegas, tipo: "olhe, isso é área protegida! Há ali um parque de caravanas! Esse fogareiro e esse estendal se calhar podia ocupar menos espaço". Não?
Era uma ideia.

Confirmem aqui se não é proibido.
Queremos ou não estar numa terra bonita e asseada? Então é fazer por isso ;)

E pronto, agora vou voltar ao registo de falar de comida porque é isso que eu gosto.


3 comentários:

  1. Estás cheinho de razão mas eu acho que não vamos conseguir vencer.Tu sabes que na praia da Cerca Nova (lado direito está montada desde princípios de Agosto uma tenda com uma cambada de "nuestros hermanos" que nem se preocupam e fazem as necessidades à vista de todos?E assim a nossa terra amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, não vamos conseguir! Mas pelo menos chamar a atenção. Mas sim, cada vez que vou caminhar passo por toneladas de necessidades e respectivos papéis cagados...! :(

      Eliminar
  2. Já tive autocaravana...ficava sempre no parque grátis de Porto covo...ai mudava as águas diariamente.
    Já em relação em estacionar perto da praia...tinha de ser...nao tinha outro meio de transporte...
    Mas vi muita coisa aos vizinhos caravanistas, e não foram raras as vezes...que me desagradavam!

    ResponderEliminar