segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

A Palavra do Ano e a Possível Expressão do Ano.

A Porto Editora fez um concurso para os leitores escolherem a palavra do ano de 2013. Aparentemente já tinha feito em anos anteriores, mas confesso que nunca tinha ouvido falar em tal coisa (vá, podem-me chicotear, mas é a verdade).
Eu fiquei aborrecido e até mesmo injustiçado: então uma pessoa quando ouve falar num concurso deste género pensa imediatamente no que foi esse mesmo ano. Em todas as noticias que ouviu, em todas as leis alteradas, em todas as greves que houve, em toda a austeridade aplicada a tudo, basicamente tudo o que nos faz mandar para fora, juntamente com um suspiro, palavras como: foda-se.


A sério, as pessoas não se vão identificar com as propostas existentes. Claro que uma pessoa vê bombeiro e sim é a melhor, por tudo o que fazem sem receber- e agora mais recentemente pelos bombeiros de Setúbal.
Troika? Já ninguém quer saber dessa porcaria, não há cú que aguente. Já estamos todos saturados, acreditem.E lá houve palavra mais dita que o foda-se? Agora não haver sequer uma expressão parecida ao foda-se? É parvo. Se quando criaram este concurso pensassem na palavra que mais foi dita pelos portugueses, eu acho que ganhava o foda-se. Mas como pode ser considerado asneira, sugeriam então um: porra, um merda d'um cabrão, um outra vez a mesma merda, um mete a austeridade no cú, oh pan"#$%%. Eu sei, eu sei, já me estou a esticar até porque é palavra do ano e não expressão do ano.

Sugiro para o próximo ano palavras como:: filho-da-pu%$#; austeridade, merda, paneleir#$$, cara"$$%. Não sou de intrigas, mas acho que este concurso teria visibilidade como nunca. Além de real.

Obs: aposto que este concurso no estrangeiro (E.U.A, por exemplo) ganhou selfie ou Miley Cyrus.

A Palavra do Ano e a Possível Expressão do Ano.

A Porto Editora fez um concurso para os leitores escolherem a palavra do ano de 2013. Aparentemente já tinha feito em anos anteriores, mas confesso que nunca tinha ouvido falar em tal coisa (vá, podem-me chicotear, mas é a verdade).
Eu fiquei aborrecido e até mesmo injustiçado: então uma pessoa quando ouve falar num concurso deste género pensa imediatamente no que foi esse mesmo ano. Em todas as noticias que ouviu, em todas as leis alteradas, em todas as greves que houve, em toda a austeridade aplicada a tudo, basicamente tudo o que nos faz mandar para fora, juntamente com um suspiro, palavras como: foda-se.


A sério, as pessoas não se vão identificar com as propostas existentes. Claro que uma pessoa vê bombeiro e sim é a melhor, por tudo o que fazem sem receber- e agora mais recentemente pelos bombeiros de Setúbal.
Troika? Já ninguém quer saber dessa porcaria, não há cú que aguente. Já estamos todos saturados, acreditem.E lá houve palavra mais dita que o foda-se? Agora não haver sequer uma expressão parecida ao foda-se? É parvo. Se quando criaram este concurso pensassem na palavra que mais foi dita pelos portugueses, eu acho que ganhava o foda-se. Mas como pode ser considerado asneira, sugeriam então um: porra, um merda d'um cabrão, um outra vez a mesma merda, um mete a austeridade no cú, oh pan"#$%%. Eu sei, eu sei, já me estou a esticar até porque é palavra do ano e não expressão do ano.

Sugiro para o próximo ano palavras como:: filho-da-pu%$#; austeridade, merda, paneleir#$$, cara"$$%. Não sou de intrigas, mas acho que este concurso teria visibilidade como nunca. Além de real.

Obs: aposto que este concurso no estrangeiro (E.U.A, por exemplo) ganhou selfie ou Miley Cyrus.

domingo, 29 de dezembro de 2013

O Ano em Blog Ou Uma Espécie.

Há um ano atrás estava enterrado em merda até à testa. Chorei, chorei, chorei que nem uma Madalena arrependida. Olhando agora para essa altura penso: "ainda bem que chorei, porque quem mais chora menos mija"- e eu odeio andar sempre na casa de banho. As coisas só tem realmente a importância que lhe damos e na altura em que damos, porque depois...sim, afinal o mundo não ia acabar e há um admirável mundo novo. E há mesmo, confirma-se. em grande parte teve a ver com ISTO que escrevi ontem, publiquei, mas não partilhei no facebook. Mas agora já podem ler- ou não.

O final do ano passado com o final deste ano é parecido demais em muitas coisas, ainda assim oi sem dúvida mais positivo e menos dramático - apesar de muito intenso em alguns aspectos. Menos dramático porquê? Porque não me morreu cão nenhum este ano e portanto, nunca teria a mesma dimensão trágica do ano anterior.

O ano passado mudei-me uns meses para a minha terra natal e estava desempregado; este ano estive sempre em Lisboa e empregado. Ponto para o Nunes, yeah!

O ano passado o meu amor canino morreu; este não. Mais um ponto positivo.

O ano passado estava a esquecer um amor; este ano ainda não sei. Ponto mais ou menos positivo.

O ano passado, o ano passado, este ano...este ano...Comparação estúpida e demasiado pessoal, portanto vou ficar por aqui e resumir o ano em imagens, que foi bem mais positivo que o anterior, mesmo com uns aspectos muito parvos. E o próximo vai ser melhor, portanto Universo, está quietinho e deixa que seja.












O Ano em Blog Ou Uma Espécie.

Há um ano atrás estava enterrado em merda até à testa. Chorei, chorei, chorei que nem uma Madalena arrependida. Olhando agora para essa altura penso: "ainda bem que chorei, porque quem mais chora menos mija"- e eu odeio andar sempre na casa de banho. As coisas só tem realmente a importância que lhe damos e na altura em que damos, porque depois...sim, afinal o mundo não ia acabar e há um admirável mundo novo. E há mesmo, confirma-se. em grande parte teve a ver com ISTO que escrevi ontem, publiquei, mas não partilhei no facebook. Mas agora já podem ler- ou não.

O final do ano passado com o final deste ano é parecido demais em muitas coisas, ainda assim oi sem dúvida mais positivo e menos dramático - apesar de muito intenso em alguns aspectos. Menos dramático porquê? Porque não me morreu cão nenhum este ano e portanto, nunca teria a mesma dimensão trágica do ano anterior.

O ano passado mudei-me uns meses para a minha terra natal e estava desempregado; este ano estive sempre em Lisboa e empregado. Ponto para o Nunes, yeah!

O ano passado o meu amor canino morreu; este não. Mais um ponto positivo.

O ano passado estava a esquecer um amor; este ano ainda não sei. Ponto mais ou menos positivo.

O ano passado, o ano passado, este ano...este ano...Comparação estúpida e demasiado pessoal, portanto vou ficar por aqui e resumir o ano em imagens, que foi bem mais positivo que o anterior, mesmo com uns aspectos muito parvos. E o próximo vai ser melhor, portanto Universo, está quietinho e deixa que seja.












sábado, 28 de dezembro de 2013

Tu

Estavas a ouvir isto quando entrei em tua casa a primeira vez:


Não sei se era premonição ou não (não, não foi), mas depois desse dia e meses seguintes, só me senti realmente bem e num instante desapareceu toda a agonia do ano anterior. assim: em três tempos voltei a rir dias inteiros, não fosse a tua mais-valia o sentido de humor. Além de outras características, o sentido de humor vai ser sempre o que eu mais quero de alguém- não suporto ter de explicar piadas, é contra natura.
Foste a pessoa mais intensa que conheci, mais bem-humorada que conheci, mostraste-me mundos que não conhecia. E foste mais importante do que possas imaginar. Um Obrigado por o que me deste a conhecer, sempre me tornei ligeiramente mais culto. LIGEIRAMENTE. Claro que há sempre um MAS, mas nesta altura do campeonato não interessa nada, até porque...



Obs: vou tentar ser a pessoas que pensas que sou.

Tu

Estavas a ouvir isto quando entrei em tua casa a primeira vez:


Não sei se era premonição ou não (não, não foi), mas depois desse dia e meses seguintes, só me senti realmente bem e num instante desapareceu toda a agonia do ano anterior. assim: em três tempos voltei a rir dias inteiros, não fosse a tua mais-valia o sentido de humor. Além de outras características, o sentido de humor vai ser sempre o que eu mais quero de alguém- não suporto ter de explicar piadas, é contra natura.
Foste a pessoa mais intensa que conheci, mais bem-humorada que conheci, mostraste-me mundos que não conhecia. E foste mais importante do que possas imaginar. Um Obrigado por o que me deste a conhecer, sempre me tornei ligeiramente mais culto. LIGEIRAMENTE. Claro que há sempre um MAS, mas nesta altura do campeonato não interessa nada, até porque...



Obs: vou tentar ser a pessoas que pensas que sou.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Postal de Natal Cantado.


Um, um, dois, teste
Um, dois, um, dois, teste, teste.

(som de garganta a ser limpa com uma espécie de tosse)


Tcharaaaaaaannnn! Tenho ou não uma voz de rouxinol?
Eu sei, daí ter escrito.

Postal de Natal Cantado.


Um, um, dois, teste
Um, dois, um, dois, teste, teste.

(som de garganta a ser limpa com uma espécie de tosse)


Tcharaaaaaaannnn! Tenho ou não uma voz de rouxinol?
Eu sei, daí ter escrito.

domingo, 22 de dezembro de 2013

O Nunes escreveu uma Carta ao Papai Noel. E foi mais ou menos fofinho.

Meu Balofo Distraído,

Atão mas o que é isto? Parece-me que este ano quem não ganhas presentes és tu. "Ah, tens de te portar bem para receber presentes"; parece-me que tanto tu como eu estamos com vários conceitos distorcidos. Sabes, já ouvi imensa gente dizer que não teve nada do que pediu, ora bem, se as pessoas se portaram bem e não receberam o que mereceriam, quem é que é o dissimulado de merda aqui? Hein? que é o menino que se portou mal? Tu, pois claro.

É que aqui por exemplo, em Portugal, longe de onde moras, já existem suficientes pessoas que prometem coisas e não cumprem..logo, não precisas fazer o mesmo, estamos esclarecidos, seu falso de cócó! Ou a tua profissão alternativa é politico? Se for esse o caso, é compreensível que assim sejas, mas não é perdoável na mesma.

Chega-te aqui seu Anafado-In-Red, o ano passado acho que te tinha pedido umas coisas. Coisas que não recebi, ou caso tenhas enviado, foi numa forma bastante distorcida  e para que tal não se repita vou tentar ser mais detalhado porque acertaste mais ou menos numas coisas, mas noutras, Nossa-Senhora-Me-Valha-E-Olha-Que-Eu-Não-Sou-Religioso (daí pedir coisas a ti e não a deus).

Estou lixado contigo com F, mas estou mesmo. Ok, eu percebo que nunca entro muito no espírito desta época em que és o protagonista, mas meu filhote, também não estás  ajudar em NADA. Ou bem que te orientas e fazes bem a tua função, ou sou capaz de te capar umas renas- o Rodolfo não conta.

Arriscando e esperando um arrependimento da tua parte aqui vão umas coisas que quero que este ano me ajudes:


  • Arranja-me um cérebro, nunca tive e adorava experimentar;
  • Aliado ao ponto interior, faz-me perder esta insistente mania que tenho de que conheço bem as pessoas;
  • P'lamordedeus, eu só quero pessoas bem dispostas ao pé de mim, para depressivo já chego eu;
  • Se estas pessoas bem dispostas forem verdadeiras, isso seria ouro sobre azul;
  • Faz com que eu não seja conselheiro sentimental de tanta gente, a sério. ou então ajuda-me a abrir um negócio e cobrar as consultas;
  • Agradecia mesmo muito que as pessoas que trabalham no IEFP fossem todas despedidas e dessem lugar a quem precisa e QUER trabalhar realmente. Poderá ser aplicado à maior parte da função pública;
  • Não querendo abusar, queria também -e com especial apreço- que toda a gente do Metropolitano de Lisboa fosse cagar de um carro abaixo mais as suas greves
Já me aborrece escrever, mas olha, eu era capaz de te perdoar se recebesse um iPhone (até pode ser o 4, vá láaaaaaaa) e me mandasses alguém que me desse um abraço. Dos bons. Pode ser?

O Nunes escreveu uma Carta ao Papai Noel. E foi mais ou menos fofinho.

Meu Balofo Distraído,

Atão mas o que é isto? Parece-me que este ano quem não ganhas presentes és tu. "Ah, tens de te portar bem para receber presentes"; parece-me que tanto tu como eu estamos com vários conceitos distorcidos. Sabes, já ouvi imensa gente dizer que não teve nada do que pediu, ora bem, se as pessoas se portaram bem e não receberam o que mereceriam, quem é que é o dissimulado de merda aqui? Hein? que é o menino que se portou mal? Tu, pois claro.

É que aqui por exemplo, em Portugal, longe de onde moras, já existem suficientes pessoas que prometem coisas e não cumprem..logo, não precisas fazer o mesmo, estamos esclarecidos, seu falso de cócó! Ou a tua profissão alternativa é politico? Se for esse o caso, é compreensível que assim sejas, mas não é perdoável na mesma.

Chega-te aqui seu Anafado-In-Red, o ano passado acho que te tinha pedido umas coisas. Coisas que não recebi, ou caso tenhas enviado, foi numa forma bastante distorcida  e para que tal não se repita vou tentar ser mais detalhado porque acertaste mais ou menos numas coisas, mas noutras, Nossa-Senhora-Me-Valha-E-Olha-Que-Eu-Não-Sou-Religioso (daí pedir coisas a ti e não a deus).

Estou lixado contigo com F, mas estou mesmo. Ok, eu percebo que nunca entro muito no espírito desta época em que és o protagonista, mas meu filhote, também não estás  ajudar em NADA. Ou bem que te orientas e fazes bem a tua função, ou sou capaz de te capar umas renas- o Rodolfo não conta.

Arriscando e esperando um arrependimento da tua parte aqui vão umas coisas que quero que este ano me ajudes:


  • Arranja-me um cérebro, nunca tive e adorava experimentar;
  • Aliado ao ponto interior, faz-me perder esta insistente mania que tenho de que conheço bem as pessoas;
  • P'lamordedeus, eu só quero pessoas bem dispostas ao pé de mim, para depressivo já chego eu;
  • Se estas pessoas bem dispostas forem verdadeiras, isso seria ouro sobre azul;
  • Faz com que eu não seja conselheiro sentimental de tanta gente, a sério. ou então ajuda-me a abrir um negócio e cobrar as consultas;
  • Agradecia mesmo muito que as pessoas que trabalham no IEFP fossem todas despedidas e dessem lugar a quem precisa e QUER trabalhar realmente. Poderá ser aplicado à maior parte da função pública;
  • Não querendo abusar, queria também -e com especial apreço- que toda a gente do Metropolitano de Lisboa fosse cagar de um carro abaixo mais as suas greves
Já me aborrece escrever, mas olha, eu era capaz de te perdoar se recebesse um iPhone (até pode ser o 4, vá láaaaaaaa) e me mandasses alguém que me desse um abraço. Dos bons. Pode ser?

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Pedinchice e Desprezo.

La la la, la la la...Jingóbeles...com esta música não ficaram já com imensa vontade de ajudar pobrezinhos da Comporta e os sem-abrigos Eu sei que sim! Shiuuuuu, calou que eu sei que sim. Já tudo a deixar de ler isto a meio e a correr para o pobrezinho mais próximo para lhe darem o vosso casaco Vuitton.

Até porque esta altura - que só pode ser mágica- tem uma influência súbita nos valores das pessoas e já escrevi algures num ano anterior sobre isso: é bom que mais gente se preocupe com as pessoas carenciadas, pena que seja só este mês. Mas os coitadinhos sobre os quais me vou debruçar- não muito, senão tenho de dar dinheiro - são os promotores. Estão a ver aquela malta do Barclays que estão em todo o lado a impingir cartões, cartanitos e uma interminável lista de vantagens, de quem toda a gente, relativamente sã, foge?

É desses e de todos do género que inundam as ruas de Lisboa e ainda mais nesta altura: é para ajudar o tsunami, é para ajudar as criancinhas, os toxicodependentes, os canitos, os velhotes, para comprar poesia naif, para dar um peido com molho...tudo; e quando escrevi coitadinhos não estava a ser irónico. Minimamente, até porque acredito que pessoas que estejam a tentar angariar dinheiro para causas na sua maioritariamente humanas, sem receber ou receber muito pouco ordenado ao fim do mês, parace-me de gente séria.

Mas o que me faz achar coitadinhos é mesmo o nosso desprezo. Sim, nosso. Também falo por mim. Assim que vejo alguém aproximar, mudo para o outro lado para não estar sempre a dizer que não. Eu e 97% das pessoas fazemos isso. Não que sejamos todos maus, mas porra, cansa! E eu acho-os uns corajosos, a sério. Aquilo deita abaixo qualquer réstia de auto-estima. Eu já fui daqueles moços que estão a borrifar perfumes à porta das perfumarias e não é bom. Mesmo nada.

Acho que já estamos tão formatados, que se víssemos um promotor/voluntário a aproximar, mesmo que ele dissesse:" é para lhe o dar 5 mil euros só porque me apetece", nós responderíamos não da mesma forma.

Viva o espírito de Natal, YAY!!


Obs: se já ajudei alguma vez estas pessoas? Ajudei, mas não foi dinheiro nem para crianças nem para toxicodependentes, foi para canis. Continuam a ser a minha prioridade, desculpem lá qualquer coisinha.

Pedinchice e Desprezo.

La la la, la la la...Jingóbeles...com esta música não ficaram já com imensa vontade de ajudar pobrezinhos da Comporta e os sem-abrigos Eu sei que sim! Shiuuuuu, calou que eu sei que sim. Já tudo a deixar de ler isto a meio e a correr para o pobrezinho mais próximo para lhe darem o vosso casaco Vuitton.

Até porque esta altura - que só pode ser mágica- tem uma influência súbita nos valores das pessoas e já escrevi algures num ano anterior sobre isso: é bom que mais gente se preocupe com as pessoas carenciadas, pena que seja só este mês. Mas os coitadinhos sobre os quais me vou debruçar- não muito, senão tenho de dar dinheiro - são os promotores. Estão a ver aquela malta do Barclays que estão em todo o lado a impingir cartões, cartanitos e uma interminável lista de vantagens, de quem toda a gente, relativamente sã, foge?

É desses e de todos do género que inundam as ruas de Lisboa e ainda mais nesta altura: é para ajudar o tsunami, é para ajudar as criancinhas, os toxicodependentes, os canitos, os velhotes, para comprar poesia naif, para dar um peido com molho...tudo; e quando escrevi coitadinhos não estava a ser irónico. Minimamente, até porque acredito que pessoas que estejam a tentar angariar dinheiro para causas na sua maioritariamente humanas, sem receber ou receber muito pouco ordenado ao fim do mês, parace-me de gente séria.

Mas o que me faz achar coitadinhos é mesmo o nosso desprezo. Sim, nosso. Também falo por mim. Assim que vejo alguém aproximar, mudo para o outro lado para não estar sempre a dizer que não. Eu e 97% das pessoas fazemos isso. Não que sejamos todos maus, mas porra, cansa! E eu acho-os uns corajosos, a sério. Aquilo deita abaixo qualquer réstia de auto-estima. Eu já fui daqueles moços que estão a borrifar perfumes à porta das perfumarias e não é bom. Mesmo nada.

Acho que já estamos tão formatados, que se víssemos um promotor/voluntário a aproximar, mesmo que ele dissesse:" é para lhe o dar 5 mil euros só porque me apetece", nós responderíamos não da mesma forma.

Viva o espírito de Natal, YAY!!


Obs: se já ajudei alguma vez estas pessoas? Ajudei, mas não foi dinheiro nem para crianças nem para toxicodependentes, foi para canis. Continuam a ser a minha prioridade, desculpem lá qualquer coisinha.

domingo, 15 de dezembro de 2013

Amizaaaaaade, Amoooooooorrr, Confiaaaaaaaaaança!!!

A Confiança é uma coisa tão estranha como o Amor. Talvez por estarem intrinsecamente ligados. será. calhando é por isso mesmo. E eu tenho uma especial pontaria- ou dedo-super-podre para esta coisa. Esta coisa da Confiança e também do Amor. Estas coisas.

Não que não sinta Amor e não que não seja de confiança, mas realmente em muitos casos - e agora aplicado à Amizade também - estão me sempre a tentar a abalar, deitar a baixo, derrubar, porrar com a confiança que eu tenho. Se estou a falar da confiança que tenho em mim? Pode ser, mas não só. Embora ache que tenho olho para saber em quem confiar, há pessoas que me aparecem na vida com o propósito de esclarecer que estou redondamente enganado. É bom por um lado, mas cansa e desilude por outro. Bom, como quem diz, na medida em que aprendemos a lidar com malta manhosa. Mas que afinal não aprendemos.

E com quem anda de mãos dadas a Confiança e a falta dela? Com a falta de carácter. Pois, são amigas forever ("amigas, vamos saltar todas juntas, amigas forever", ver vídeo AQUI). Ai, lá estou eu a tentar passar a impressão que sou uma pessoa espectacular e só me enganam e que sou uma vitima.

Mas realmente eu tenho defeitos. E muitos. E dedo podre. E facilmente dou confiança a alguém. E rapidamente se esticam mais que a manta. E dificilmente sei pôr ponto final nisso sem ser bruto. E têm acontecido situações ultimamente que reflectem isso mesmo. E para não parecer que sou muito má pessoa, tenho dificuldade em contornar isso sem ser mal-educado.

Não, não tem que ver com relações amorosas (porque não as tenho), é mesmo relativo a situações do dia-a-dia. Como se contornam estas "confias"?

Amizaaaaaade, Amoooooooorrr, Confiaaaaaaaaaança!!!

A Confiança é uma coisa tão estranha como o Amor. Talvez por estarem intrinsecamente ligados. será. calhando é por isso mesmo. E eu tenho uma especial pontaria- ou dedo-super-podre para esta coisa. Esta coisa da Confiança e também do Amor. Estas coisas.

Não que não sinta Amor e não que não seja de confiança, mas realmente em muitos casos - e agora aplicado à Amizade também - estão me sempre a tentar a abalar, deitar a baixo, derrubar, porrar com a confiança que eu tenho. Se estou a falar da confiança que tenho em mim? Pode ser, mas não só. Embora ache que tenho olho para saber em quem confiar, há pessoas que me aparecem na vida com o propósito de esclarecer que estou redondamente enganado. É bom por um lado, mas cansa e desilude por outro. Bom, como quem diz, na medida em que aprendemos a lidar com malta manhosa. Mas que afinal não aprendemos.

E com quem anda de mãos dadas a Confiança e a falta dela? Com a falta de carácter. Pois, são amigas forever ("amigas, vamos saltar todas juntas, amigas forever", ver vídeo AQUI). Ai, lá estou eu a tentar passar a impressão que sou uma pessoa espectacular e só me enganam e que sou uma vitima.

Mas realmente eu tenho defeitos. E muitos. E dedo podre. E facilmente dou confiança a alguém. E rapidamente se esticam mais que a manta. E dificilmente sei pôr ponto final nisso sem ser bruto. E têm acontecido situações ultimamente que reflectem isso mesmo. E para não parecer que sou muito má pessoa, tenho dificuldade em contornar isso sem ser mal-educado.

Não, não tem que ver com relações amorosas (porque não as tenho), é mesmo relativo a situações do dia-a-dia. Como se contornam estas "confias"?

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Espécie de Música de Domingo.

A música parece muito depressiva no inicio, mas vai melhorando aos poucos. E é realmente brutal quando se ouve alto, aaaaaalttto. E sabe melhor com o uma vista para o mar como me ensinaram. Diz que é uma espécie de música introspectiva.

É para ouvir alto. Já tinha escrito?
Obrigado, vizinhança ;)

Obs: para quem está  a ver o blog no telemóvel e me mandou mensagem a dizer que não se vê nada, aqui vai o link:

http://www.youtube.com/watch?v=TmxSxKxBbQE






Espécie de Música de Domingo.

A música parece muito depressiva no inicio, mas vai melhorando aos poucos. E é realmente brutal quando se ouve alto, aaaaaalttto. E sabe melhor com o uma vista para o mar como me ensinaram. Diz que é uma espécie de música introspectiva.

É para ouvir alto. Já tinha escrito?
Obrigado, vizinhança ;)

Obs: para quem está  a ver o blog no telemóvel e me mandou mensagem a dizer que não se vê nada, aqui vai o link:

http://www.youtube.com/watch?v=TmxSxKxBbQE






segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O Nunes é um Sabichão de Merda: Putedo




Avisadíssimos: se roubarem a imagem e não puserem a fonte estão lixados com F. Não podem porque eu não quero senão há chapadaria que até ferve, sim fofinhos?

O Nunes é um Sabichão de Merda: Putedo




Avisadíssimos: se roubarem a imagem e não puserem a fonte estão lixados com F. Não podem porque eu não quero senão há chapadaria que até ferve, sim fofinhos?

Laureating a Pévid Ou Alentejanando.

"Há folgas na vida que valem por quinze dias"

                                      Nunes Voltaire.

Obs: talvez tenha ajudado ter recebido uma massagem que me tirou 15kg do pescoço.






Laureating a Pévid Ou Alentejanando.

"Há folgas na vida que valem por quinze dias"

                                      Nunes Voltaire.

Obs: talvez tenha ajudado ter recebido uma massagem que me tirou 15kg do pescoço.






quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Amor e Promessas.


Amor da minha vida,



Hoje era o teu aniversário. as saudades ainda são muitas. O teu lugar no meu coração ainda não foi ocupado. nem vai ser nunca.

Nem por outro cão, nem por outra pessoa. E eu prometo aqui, meu Tarik mais bonitão, que só no dia em que eu gostar tanto de alguém como de ti é que caso. nem ponho a hipótese de gostar mais de alguém do que di, porque claramente não vai acontecer.

O último aniversário que celebraste connosco. temos todos muitos saudadonas.

Amor e Promessas.


Amor da minha vida,



Hoje era o teu aniversário. as saudades ainda são muitas. O teu lugar no meu coração ainda não foi ocupado. nem vai ser nunca.

Nem por outro cão, nem por outra pessoa. E eu prometo aqui, meu Tarik mais bonitão, que só no dia em que eu gostar tanto de alguém como de ti é que caso. nem ponho a hipótese de gostar mais de alguém do que di, porque claramente não vai acontecer.

O último aniversário que celebraste connosco. temos todos muitos saudadonas.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Putas E Cabrões em Foto de Fundo.



Vamos lá a ver quem é que já esteve nesta situação à excepção de toda a gente? Eu sei que concordam com esta versão mais agressiva, ou ordinária, vá.
Se alguém roubar isto, que pode, tem de roubar e não cortar a parte onde diz o nome do blog, porque se eu sei que usam isto como foto de fundo no face sem o endereço de onde foi roubado, eu processo-vos. E olhem que eu sou pobre e preciso de dinheiro.

Putas E Cabrões em Foto de Fundo.



Vamos lá a ver quem é que já esteve nesta situação à excepção de toda a gente? Eu sei que concordam com esta versão mais agressiva, ou ordinária, vá.
Se alguém roubar isto, que pode, tem de roubar e não cortar a parte onde diz o nome do blog, porque se eu sei que usam isto como foto de fundo no face sem o endereço de onde foi roubado, eu processo-vos. E olhem que eu sou pobre e preciso de dinheiro.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Abalroamentos e Atropelamentos.

Aquela sensação bruta que nos chega em forma de taquicardia quando vemos alguém que nos interessa. Uma sensação em muito parecida a ser atropelado por um camião, tal é o sentimento sentido - sentimento sentido é uma figura de estilo, qual é, hein? Quando se conhece alguém assim é bom por um lado, mas pode ser complicado por outro, caso as coisas corram mal. Intensidade é um pau de dois bicos, sempre ouvi dizer.

Agora que parece que eu vou falar de um assunto minimamente interessante vamos passar ao assunto em si: atropelamentos em Portugal. Ouve-se imenso- e parece sempre que a culpa é de um lado- que morrem multidões nas estradas do nosso País. é verdade, morrem. Condutores loucos, aceleras que abalroam as pessoas super correctas que estão nas passadeiras. Sim, acontece.

Mas e então, aqueles peões loucos sofredores do síndrome de passadeira imaginária? Eu vim agora para casa de uma amiga minha e enquanto fiz a Avenida de Roma foi por um triz que não derrubei 3 pessoas. E vocês pensam: claro oh estúpido, vens a 120 km/h e as pessoas estão no sítio certo, nas passadeiras. Errado. Muito errado. Eu vinha a 40Km/h,estava verde PARA MIM e os peões estavam no meio da estrada, bem longe das passadeiras.

E para a próxima, em vez de eu travar à bruta, talvez arraste alguém até à passadeira, porque "cada macaco no seu galho", que é como que diz, cada peão na sua passadeira, com mais ou menos braços.

Posto isto, a amiga com quem vim jantar- depois de eu lhe dizer: já sei sobre o que vou escrever hoje, aconteceu-me isto  avir para aqui- diz-me: tenho a imagem ideal para ilustrar isso. E não é que tinha mesmo? Nem de propósito, porra.

Olhem lá para isto:

Abalroamentos e Atropelamentos.

Aquela sensação bruta que nos chega em forma de taquicardia quando vemos alguém que nos interessa. Uma sensação em muito parecida a ser atropelado por um camião, tal é o sentimento sentido - sentimento sentido é uma figura de estilo, qual é, hein? Quando se conhece alguém assim é bom por um lado, mas pode ser complicado por outro, caso as coisas corram mal. Intensidade é um pau de dois bicos, sempre ouvi dizer.

Agora que parece que eu vou falar de um assunto minimamente interessante vamos passar ao assunto em si: atropelamentos em Portugal. Ouve-se imenso- e parece sempre que a culpa é de um lado- que morrem multidões nas estradas do nosso País. é verdade, morrem. Condutores loucos, aceleras que abalroam as pessoas super correctas que estão nas passadeiras. Sim, acontece.

Mas e então, aqueles peões loucos sofredores do síndrome de passadeira imaginária? Eu vim agora para casa de uma amiga minha e enquanto fiz a Avenida de Roma foi por um triz que não derrubei 3 pessoas. E vocês pensam: claro oh estúpido, vens a 120 km/h e as pessoas estão no sítio certo, nas passadeiras. Errado. Muito errado. Eu vinha a 40Km/h,estava verde PARA MIM e os peões estavam no meio da estrada, bem longe das passadeiras.

E para a próxima, em vez de eu travar à bruta, talvez arraste alguém até à passadeira, porque "cada macaco no seu galho", que é como que diz, cada peão na sua passadeira, com mais ou menos braços.

Posto isto, a amiga com quem vim jantar- depois de eu lhe dizer: já sei sobre o que vou escrever hoje, aconteceu-me isto  avir para aqui- diz-me: tenho a imagem ideal para ilustrar isso. E não é que tinha mesmo? Nem de propósito, porra.

Olhem lá para isto:

domingo, 1 de dezembro de 2013

Post Lamechas de Domingo à Noite.

Tantos anos em Lx e só hoje tirei uma foto com o Fernando! S
(...)

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...


(...)


Fernando Pessoa

Obs: Love you, Fernando! 

"Bates forte cá dentro"
Fanny

Post Lamechas de Domingo à Noite.

Tantos anos em Lx e só hoje tirei uma foto com o Fernando! S
(...)

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...


(...)


Fernando Pessoa

Obs: Love you, Fernando! 

"Bates forte cá dentro"
Fanny

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Enganamentos e Castanhêdo.

Acho que já tive anos sem comer castanhas, mas o cheirinho que abraça as ruas nesta altura, é de facto, divinal. Apetece comprar dúzias e dúzias delas e devorá-las como se não fizessem em seguida uma peidaria sem precedentes. era bom comer assim às dúzias, encher o bandulho e ficar com aquela sensação de orgasmo múltiplo- não que eu saiba como é, mas ouvi dizer.

Mas a vida é injusta e isso não vai acontecer, podemos arriscar e fazer esta sugestão, mas imodium é o que se recomenda posteriormente.

Aparte deste cenário de sonho e super-cheiroso, há uma coisa que me intriga na compra destas dúzias de castanhas e que me fazem recuar no momento da compra: acho que em doze castanhas, acerto em duas comestíveis, as outras estão sempre ou bichosas ou..bichosas-intragáveis. Lá vêm aquelas espécies de lombrigas ali enfiadas e tostadas e ocupam a castanha toda que uma pessoa por mais que tente aproveitar alguma parte, não consegue. Insiste, insiste. Não.

Ora bem, 2 euros por doze castanhas já não me parece acessível, quanto mais por duas.


Enganamentos e Castanhêdo.

Acho que já tive anos sem comer castanhas, mas o cheirinho que abraça as ruas nesta altura, é de facto, divinal. Apetece comprar dúzias e dúzias delas e devorá-las como se não fizessem em seguida uma peidaria sem precedentes. era bom comer assim às dúzias, encher o bandulho e ficar com aquela sensação de orgasmo múltiplo- não que eu saiba como é, mas ouvi dizer.

Mas a vida é injusta e isso não vai acontecer, podemos arriscar e fazer esta sugestão, mas imodium é o que se recomenda posteriormente.

Aparte deste cenário de sonho e super-cheiroso, há uma coisa que me intriga na compra destas dúzias de castanhas e que me fazem recuar no momento da compra: acho que em doze castanhas, acerto em duas comestíveis, as outras estão sempre ou bichosas ou..bichosas-intragáveis. Lá vêm aquelas espécies de lombrigas ali enfiadas e tostadas e ocupam a castanha toda que uma pessoa por mais que tente aproveitar alguma parte, não consegue. Insiste, insiste. Não.

Ora bem, 2 euros por doze castanhas já não me parece acessível, quanto mais por duas.


terça-feira, 26 de novembro de 2013

Laureating a Pévid e Paz. Ou Espécie.

Paz, Paz...Mais ou menos isso, pelo menos pelas fotos parece. Não corresponde bem à verdade, mas há de corresponder.
E vá fotos que hoje não m'apetece escrever. Sim, há fotos de pés (calçados, obviamente- nunca ia pôr foto do meu pé def aqui..nem em lado nenhum)